close

Governo de SP contratará 20 mil para a rede de ensino

Administração anuncia a contratação de pais e mães de alunos para ajudar no reinício das aulas, com remuneração de R$ 500

Criança em escola com máscara estudando ao lado de carteiras vazias

Contratação será promovida por programa social do Estado, que terá investimento de R$ 1 bilhão | Foto: Getty Images

Nesta quarta-feira, 7, o governo de São Paulo anunciou, em entrevista coletiva, o lançamento de uma ação que unifica programas sociais do Estado e que contratará 20 mil pessoas para trabalhar na rede pública de ensino. O investimento será de R$ 1 bilhão no ano.

Batizado de “Bolsa do Povo”, o programa envolverá a admissão de pais e mães de alunos de escolas públicas como colaboradores para trabalhar nas escolas onde os filhos estudam.

Todos os contratados serão remunerados mensalmente com R$ 500, por 4 horas diárias de trabalho.

A ideia é gerar renda aos familiares dos alunos da rede pública que perderam o emprego devido à pandemia de covid-19.

Segundo o governo, os trabalhadores ajudarão na organização e reinício das atividades letivas.

De acordo com o governador João Dória (PSDB), o Projeto de Lei do Bolsa do Povo será enviado na tarde desta quarta-feira à Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).

A expectativa é que o processo de contratação dos 20 mil trabalhadores se inicie entre o final de maio e começo de junho.

Aumento do valor de programas sociais

Na coletiva, o governo de São Paulo confirmou que o Bolsa do Povo aumentará o valor de alguns programas sociais e ampliará a abrangência de outros.

Foi dado o exemplo do Ação Jovem e do Renda Cidadã, que hoje repassam R$ 80 a pessoas elegíveis do Estado.

Assim que aprovado pela Alesp, ambas ações vão passar a distribuir R$ 100 aos beneficiários.

Oxigênio

O governo estadual também confirmou a compra de mil concentradores – 624 já sendo distribuídos a unidades de saúde – e 2 mil cilindros de oxigênio.

Do total de cilindros, 540 já foram entregues à rede pública de saúde, segundo o governo.

Foi confirmada ainda a doação de 500 mil cestas básicas feita por 406 empresas do Estado, que serão destinadas a pessoas carentes.

Vacinação

O governo paulista anunciou que pessoas com 67 anos poderão ser vacinadas a partir de 14 de abril.

Uma semana depois, em 21 de abril, será a vez do início da vacinação de pessoas com 65 e 66 anos.

O governo anunciou ainda que será possível fazer o pré-cadastro para a vacinação contra a covid-19 com o aplicativo de mensagens WhatsApp.

Além disso, foi confirmada a entrega de mais 1 milhão de doses da vacina Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, ao Ministério da Saúde.

Até o momento, o Estado de São Paulo já vacinou mais de 7 milhões de pessoas contra a covid-19.

Desse total, 5,1 milhões de cidadãos receberam a primeira dose e outros 1,8 milhões já têm a segunda dose aplicada.

Assine o Safra Report, nossa newsletter mensal

Receba gratuitamente em seu email as informações mais relevantes para ajudar a construir seu patrimônio