close

Primeira-ministra britânica Liz Truss renuncia após 45 dias no cargo

Depois de reverter propostas de cortes de impostos que causaram grande turbulência financeira, primeira-ministra não resistiu às pressões

Liz Truss

Liz Truss defendia que o governo britânico precisava tomar ações urgentes “para fazer a economia crescer e também lidar com a inflação” | Foto: Divulgação

a primeira-ministra do Reino Unido, Liz Truss, renunciou ao cargo nesta quinta-feira, 20, após um orçamento fracassado de corte de impostos que abalou os mercados financeiros e causou a uma revolta dentro de seu próprio Partido Conservador. Ela ficou apenas 45 dias no cargo, após substituir Boris Johnson. Truss continuará exercendo o cargo de primeira-ministra até que um sucessor seja escolhido. Uma nova eleição do Partido Conservador deve ser finalizada ma semana que vem.

Truss disse em um comunicado fora de Downing Street: “Estabelecemos uma visão para uma economia de baixo imposto e alto crescimento que tiraria vantagem do Brexit. Reconheço, dada a situação, que não posso cumprir o mandato para o qual fui eleita pelo Partido Conservador. Por isso, falei com Sua Majestade, o Rei, para anunciar que estou renunciando ao cargo de líder do Partido Conservador”. Após apresentar um plano de amplos cortes de impostos e estímulos fiscais, os mercados de renda fixa no Reino Unido e a libra entraram em turbulência e provocaram intervenção do Banco da Inglaterra (BoE). O imbróglio causou a saída do ex-ministro de Finanças Kwasi Kwarteng e a revogação da maioria das medidas econômicas anunciadas anteriormente.

Saiba mais

A renúncia foi após a uma reunião com Graham Brady, o político conservador que está encarregado de votos de liderança e reformulações no governo. Pouco antes da reunião, um porta-voz de Downing Street disse aos repórteres que Truss queria permanecer no cargo.

Durante a hora em que a reunião durou, o número de deputados pedindo publicamente que Truss renunciasse chegou a 17. O número dos parlamentares que manifestaram descontentamento e falta de confiança em Liz Truss chegou a mais de 100 até esta quinta-feira.

Truss disse fora de Downing Street que ela e Brady tinham concordado que o partido realizaria uma eleição de liderança na próxima semana. Em meio ao caos político gerado por controversos planos fiscais, a maioria dos parlamentares do Partido Conservador britânico vinha manifestando apoio à renúncia imediata da primeira-ministra do Reino Unido, segundo pesquisa do instituto YouGov.

Publicado na última terça-feira, o levantamento mostrou que 55% dos membros do partido governista desejavam a saída de Truss, cujo governo reverteu na segunda-feira, 17, quase todas as propostas de cortes de impostos que causaram grave turbulência nos mercados financeiros britânicos desde que foram reveladas, no mês passado. (Com AE)

Abra sua conta

Assine o Safra Report, nossa newsletter mensal

Receba gratuitamente em seu email as informações mais relevantes para ajudar a construir seu patrimônio

Invista com os especialistas do Safra