close

Na estreia por 5 a 0 contra a China, Marta faz história

Marta marcou dois gols na goleada de estreia em Tóquio e se tornou a primeira atleta a marcar gols em cinco Olimpíadas

Marta em campo

A maior atleta da história do futebol feminino chegou a 12 gols em Olimpíada | Foto: Estadão conteúdo

A seleção brasileira feminina de futebol estreou com vitória de goleada nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Liderado pela jogadora Marta, o Brasil atropelou a China por 5 a 0 nesta quarta-feira, em Miyagi.

Marta foi o grande nome da partida ao balançar as redes duas vezes. Fez o primeiro gol do Brasil na competição e também o terceiro e ainda deixou Andressa Alves cobrar o pênalti que resultou no quarto.

“Aqui não tem vaidade”, disse. Debinha também deixou sua marca no primeiro tempo e Bia Zaneratto fechou o marcador.

As chinesas mandaram três bolas na trave e deixaram o Brasil em dificuldades em alguns momentos. No entanto, seleção brasileira reagiu. Encurralou as chinesas, mostrou organização, intensidade, e força coletiva.

Marta é a primeira jogadora a marcar em cinco Olimpíadas

Marta fez história ao se tornar a primeira jogadora a marcar em cinco edições de Olimpíada. A camisa 10 da seleção fez um bom jogo e deu cadência e técnica ao meio de campo do time, participando ativamente da construção e conclusão das jogadas no ataque.

A maior atleta da história do futebol feminino chegou a 12 gols em Olimpíada e ultrapassou a canadense Christine Sinclair para se tornar a segunda maior artilheira na história dos Jogos. A brasileira Cristiane, que não foi convocada para Tóquio-2020, é a maior goleadora, com 14 gols.

No lance de seu primeiro gol, marcado aos oito minutos, a veterana mostrou oportunismo e calma ao aproveitar o rebote de Debinha, que acertou o travessão em conclusão de cabeça.

Não foi só Marta que jogou bem no primeiro tempo. Foi uma atuação harmoniosa das comandadas de Pia Sundhage na etapa inicial.

Ataque do Brasil fez a diferença

O Brasil resistiu à pressão inicial das chinesas e, quando colocou a bola no chão, dominou a adversária. No ataque, fez a diferença do trio Marta, Debinha e Bia Zaneratto e, claro, o talento delas.

O placar foi ampliado aos 21 minutos. Ágil e muito forte fisicamente, Bia Zaneratto fez boa jogada pela direita e chutou forte. A goleira deu rebote e Debinha cutucou para as redes.

Depois disso, a seleção brasileira uma queda física e técnica, algo recorrente e que tem tirado o sono de Pia. A treinadora bicampeã olímpica tem a missão de conduzir o Brasil à conquista do ouro inédito.

Ela viu suas atletas levarem pressão das chinesas, que só não conseguiram balançar as redes graças à ótima atuação da goleira Bárbara. Quando ela não apareceu para salvar as brasileiras, a trave ajudou. A China acertou três vezes a trave.

Marta abre mão de fazer terceiro gol

Quando o Brasil vinha sendo pressionado e estava sufocado em seu campo de defesa, prestes a sofrer um gol, Marta apareceu para marcar o terceiro e tranquilizar a equipe. A camisa 10 começou e concluiu a jogada.

Marta poderia ter saído de campo com três gols, mas abriu mão da cobrança de pênalti e deixou Andressa Alves, que havia acabado de entrar, bater a penalidade que sofreu ao ser derrubada na área por Wang Xiaoxue. Ela chutou rasteiro no canto esquerdo de Peng Shimeng, que se esticou mas não evitou o quarto gol brasileiro, aos 36.

Uma das melhores em campo, Bia Zaneratto foi premiada pela luta e boa exibição no fim da partida. A atacante do Palmeiras recebeu cruzamento na medida de Debinha e desviou de pé esquerdo para anotar o quinto gol do massacre brasileiro aos 43 e selar a goleada em Miyagi.

Em busca do ouro olímpico inédito, o Brasil continua sua jornada em Tóquio no próximo sábado, às 8 horas (no horário de Brasília), quando enfrenta a Holanda. Depois, na terça, fecha a primeira fase contra a Zâmbia. (AE)

Assine o Safra Report, nossa newsletter mensal

Receba gratuitamente em seu email as informações mais relevantes para ajudar a construir seu patrimônio

Para investir sério conte com especialistas