close

Super Homem gay enfrenta desafio da diversidade nas histórias em quadrinhos

Novo Super Homem, filho de Clark Kent e Lois Lane, sai do armário como parte da luta da DC Comics contra o preconceito

Super homem gay

Jonathan, filho de Clark Kent, conhece o amigo Jay Nakamura no ensino médio e o namoro tem início em novo episódio anunciado pela DC Comics | Foto: Reprodução

O novo Superman, Jonathan Kent – que é filho de Clark Kent e Lois Lane – começará em breve um relacionamento romântico com um amigo, anunciou a DC Comics nesta segunda-feira.

Essa relação homossexual é apenas uma das maneiras do novo Super Homem, que se chama Jon, provar que é um herói diferente de seu famoso pai.

Desde que sua nova série começou, em julho, Jon combateu incêndios florestais causados pelas mudanças climáticas, frustrou um tiroteio numa escola de ensino médio e protestou contra a deportação de refugiados.

Tom Taylor, que escreve a série, disse que o novo Superman precisava enfrentar novos desafios mais atuais, e problemas do mundo real, lutas que ele poderia enfrentar como uma das pessoas mais poderosas do mundo.

Super Homem gay é novo marco da busca de diversidade nos quadrinhos

A saída do armário do Superman, talvez o super-herói americano mais arquetípico, é um momento notável mesmo em uma época em que muitos quadrinhos abraçaram a diversidade e estão explorando questões sociais urgentes, segundo o jornal New York Times.

O parceiro de Batman, Robin, recentemente reconheceu sentimentos românticos por um amigo masculino chamado Tim Drake. E um novo comediante do Aquaman é estrelado por um negro gay que está posicionado para se tornar o herói do título.

No livo “Sedução dos Inocentes”, lançado em 1954, o psiquiatra Fredric Wertham levantou preocupações sobre sexo e violência nas histórias em quadrinhos e sugeriu uma ligação entre ler quadrinhos e delinquência juvenil. Em uma seção, Wertham descreveu Batman e Robin como “um sonho de desejo de dois homossexuais vivendo juntos”.

O livro ajudou a inspirar as audiências no Congresso e levou à criação, em 1956, da Comics Code Authority, na qual a indústria de quadrinhos estabeleceu padrões sobre o que os quadrinhos poderiam retratar.

Nova Mulher Gato deixa o exército para assumir sua condição

A personagem de Batwoman foi introduzida naquele ano para provar o perfil hétero do Homem Morcego. Ela acabou caindo na obscuridade, mas voltou em 2006, quando em uma nova história ela deixa o exército porque se recusa a mentir sobre ser lésbica.

Um dos primeiros quadrinhos a apresentar gays ou lésbicas apareceu em 1980. Na história, Bruce Banner, o alter ego de Hulk da Marvel, está em um Y.M.C.A, onde dois gays tentam estuprá-lo.

A história de Clark Kent, o personagem por trás do Superman, foi lançada em 1938. Ele casou-se com Lois Lane em 1996. Jonathan, o filho do casal, foi introduzido em 2015. Ele passou algum tempo como Superboy antes de ser encorajado por seu pai a se tornar o novo Superman.

Super Homem vai beijar companheiro Jay Nakamura na próxima edição

Jonathan e Jay Nakamura se conheceram em uma história de agosto durante a malfadada tentativa do novo Superman de estabelecer uma identidade secreta e frequentar o ensino médio. No mês passado, Jay, um jornalista em ascensão, conheceu os pais de Jonathan – e ficou impressionado com Lois Lane.

Jonathan e Jay vão compartilhar um beijo em uma história que será publicada no próximo mês. Este mês, os leitores descobrirão que Jay tem habilidades especiais. “Jay pode ser a única pessoa na vida de Jon que ele não tem que proteger”, disse Taylor. “Eu queria ter uma relação muito igual e solidária para aqueles dois.”

“Eu sempre disse que todos precisam de heróis e eles merecem se ver em seus heróis”, disse Taylor. “Para tantas pessoas, ter o super-herói mais forte nos quadrinhos é incrivelmente poderoso.”

Assine o Safra Report, nossa newsletter mensal

Receba gratuitamente em seu email as informações mais relevantes para ajudar a construir seu patrimônio

Invista com os especialistas do Safra