close

Conheça os tênis que deixaram Roger Federer ainda mais rico

Lenda do esporte, atleta se tornou sócio da On Running, marca suíça que produz tênis para corrida e que já vale mais de US$ 11 bilhões

O tenista Roger Federer de camiseta preta, colocando a mão direita sobre uma mesa cheia de tênis da On Running, marca na qual investiu

Segundo estimativas da imprensa, a participação de Roger Federer na On Running é de 3%, pouco mais de US$ 300 milhões | Foto: Divulgação/On

Lenda do esporte, o suíço Roger Federer, 40, é reconhecidamente um dos melhores tenistas da história.

Agora, além de um grande atleta, ele pode ser considerado um investidor com boa visão.

Isso porque seu recente investimento em uma marca de tênis de corrida o deixou US$ 300 milhões – ou R$ 1,6 bilhão – ainda mais rico (veja as fortunas dos atletas).

A marca em questão é a suíça On Running, que atualmente tem participação de brasileiros como Marc Lehmann e Beto Sicupira.

Descoberta por Roger Federer há dois anos, a companhia foi fundada em janeiro de 2010 por três amigos: Olivier Bernhard (hexacampeão do Ironman), David Allemann e Caspar Coppetti.

Recentemente, a empresa realizou sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE).

O resultado foi uma captação de US$ 746 milhões (R$ 4 bilhões) em 15 de setembro.

Cada ação terminou a oferta valendo US$ 24 – acima do intervalo projetado de US$ 18 a US$ 20.

Ao final do primeiro dia de negociação na bolsa estadunidense, a On Running tinha valor de mercado de mais de US$ 11 bilhões (US$ 59,5 bilhões).

Roger Federer utilizou par de tênis da On Running durante o torneio de Wimbledon, no Reino Unido, neste ano | Foto: Reprodução/Twitter
Roger Federer utilizou par de tênis da On Running e roupas da Uniqlo durante o torneio de Wimbledon, no Reino Unido, neste ano | Foto: Reprodução/Twitter

Conexão entre On Running e Roger Federer

Em videoconferência após a abertura de capital na NYSE, Allemann disse que o primeiro par de tênis da marca era tão feio que os próprios fundadores o batizaram de “Frankenstein”.

A reestilização dos calçados foi pensada com base na performance e no estilo, com olhos no alto padrão. Os preços dos tênis da On Running partem da faixa de R$ 700 a R$ 800 no Brasil.

Mesmo após oito anos de crescimento e sete milhões de corredores em 50 países – de acordo com a própria empresa – conquistados, a mudança de patamar veio com a entrada do tenista.

Em 2019, a companhia anunciou que Roger Federer se tornou sócio, a um valor de aporte não divulgado.

Porém, o portal Sportico estima que sua participação na On Running seja de 3%, pouco mais de US$ 300 milhões.

Caspar Coppetti, Olivier Bernhard, e David Allemann, fundadores da On Running | Foto: Divulgação/On
Caspar Coppetti, Olivier Bernhard, e David Allemann, fundadores da On Running | Foto: Divulgação/On

À Forbes, Allemann contou que a iniciativa de se unir à marca partiu do próprio Federer, de uma maneira extremamente simples.

“A Suíça é um país pequeno. Em algum momento, ele nos ligou e disse: ‘Deixe-me pagar o jantar’. E então jantamos juntos e ele disse: ‘Sou um grande fã do seu produto, todos ao meu redor estão usando.'”.

E então, veio o convite. “Disse a ele: ‘Ei, por que você não se torna um co-empresário conosco?’ Felizmente, ele disse sim e investiu seu próprio dinheiro na On. E ele passou 20 dias no laboratório conosco desenvolvendo o primeiro tênis (com seu nome)”, contou Allemann.

Fim de acordo com a Nike abriu o caminho

No entanto, a relação entre Roger Federer e a On Running não teria passado de sonho se não fosse o fim do vínculo de mais de 20 anos que o tenista tinha com a Nike.

Em 2018, o suíço e a marca americana sentaram à mesa para negociar a renovação de seu então contrato de patrocínio de US$ 10 milhões (R$ 54 milhões) anuais.

Na hora de chegarem a um acordo, a Nike se viu emparedada por ‘uma regra não escrita’ (como descreve o jornalista Joe Pompliano, especializado em negócios do esporte) de não gastar 10% de sua receita geral com patrocínios.

Modelo da linha THE ROGER, assinada pelo tenista suíço | Foto: Divulgação/On
Modelo da linha THE ROGER, assinada pelo tenista suíço | Foto: Divulgação/On

Nesse sentido, a companhia ultrapassaria o teto se renovasse com Federer. Isso travou a renovação e o tenistas se viu livre no mercado. E não demorou muito a encontrar quem quisesse associar sua marca ao multicampeão do tênis.

Ainda em 2018, Roger Federer assinou um contrato de US$ 300 milhões (R$ 1,6 bilhão) com a japonesa Uniqlo, por um período de 10 anos.

Dessa forma, ele passou a receber três vezes mais do que ganhava com a Nike, com garantia até os 46 anos.

Além disso, o astro fechou um contrato que não previa rompimento em caso de aposentadoria e que envolvia apenas o vestuário.

Ou seja: os calçados ficaram de fora. Isso abriu caminho para que ele investisse e passasse a utilizar os modelos da On Running.

Enfim, neste ano ele utilizou suas novas marcas no Grand Slam de Wimbledon, no Reino Unido.

Assine o Safra Report, nossa newsletter mensal

Receba gratuitamente em seu email as informações mais relevantes para ajudar a construir seu patrimônio

Invista com os especialistas do Safra