close

Viajar de avião exige máscara certa

Companhias aéreas como a Latam, Lufthansa, Air France e Alitalia proíbem máscaras com válvula, lenços e bandanas

Máscara para viajar de avião

Aéreas exigem máscaras cirúrgicas, FFP2 (KN95) sem válvulas; FFP3 (N95) sem válvulas e máscaras de pano (sem válvulas) | Foto: Getty Images

As companhias aéreas estão fazendo restrições a alguns modelos de máscaras anti-covid. A Latam informou que a partir de 1º de março não vai mais aceitar passageiros com máscaras com válvulas, protetores bucais, lenços e bandanas de pano em todos os voos da empresa.

Antes do anúncio da Latam, Lufthansa, Air France e Alitalia também apresentaram restrições semelhantes.

Confira os modelos de máscaras aceitos

Os modelos aceitos pela Latam são: máscaras cirúrgicas, FFP2 (KN95) sem válvulas; FFP3 (N95) sem válvulas e máscaras de pano (sem válvulas). A empresa afirma que a responsabilidade de providenciar a proteção é dos passageiros.

As empresa seguem recomendações de entidades como a Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata) e a Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Os passageiros que comparecerem ao embarque com máscara fora do padrão não poderão embarcar se não a possuírem ou substituírem por uma das alternativas permitidas”, informa a Latam. A companhia diz que os viajantes devem observar todos os requisitos exigidos pelos países de chegada, em caso de embarques internacionais.

Lufthansa veta máscaras de pano

Desde 1º de fevereiro, a Lufthansa proíbe o uso de máscaras de pano e similares e passou a exigir que todos os passageiros e membros da tripulação usem máscara médica nos seus voos de ida e volta entre Brasil e Alemanha. Outros tipos de máscaras, mesmo com filtro externo e panos, não são aceitos pela companhia.

“Os passageiros devem usar máscara cirúrgica ou máscara padrão KN95/N95 durante o embarque, voo e na saída da aeronave. Máscaras diárias não são mais permitidas”, disse a empresa em comunicado.

Segundo a Lufthansa, a isenção da obrigação de usar máscara facial durante o voo por motivos médicos só é possível se o atestado médico for emitido em um formulário fornecido pela companhia e um teste de covid-19 negativo for apresentado com menos de 48 horas do início programado da viagem.

A nova determinação segue resolução aprovada pelos governos federal e estadual da Alemanha de 19 de janeiro para combater principalmente variantes do novo coronavírus.

Com o surgimento de novas variantes do vírus da covid-19 mais transmissíveis, países da Europa como Alemanha, França e Áustria passaram a recomendar à população o uso de máscaras semelhantes às dos profissionais da saúde, como a cirúrgica comum e modelos FFP2 ou N95. A determinação também é seguida pelas companhias aéreas Lufthansa e Air France.

Air France veta máscara com válvula

A Air France não autoriza o embarque de passageiros e tripulantes com máscaras de tecido e as máscaras com válvula. Segundo comunicado no site da empresa, o uso de máscara cirúrgica ou máscara do tipo FFP1, FFP2 ou FFP3 sem válvula é obrigatório a bordo dos aviões.

O governo francês exige o uso de máscaras nos meios de transporte desde 11 de maio de 2020. Em 31 de maio, especificou que o uso de máscaras de tipo cirúrgico é obrigatório a bordo dos aviões.

Alitalia exige máscara cirúrgica

A Alitalia obriga a utilização constante de máscara cirúrgica de proteção ou máscaras do tipo FFP2 ou FFP3, sem válvula. Os passageiros devem levar máscaras suficientes para troca a cada quatro horas. (AE)

Assine o Safra Report, nossa newsletter mensal

Receba gratuitamente em seu email as informações mais relevantes para ajudar a construir seu patrimônio